História

As aldeias de Antas, Ourozinho e Telhal pertencem ao concelho de Penedono, distrito de Viseu. Localizam-se nas encostas da Serra do Sirigo. Têm em comum o leito do rio Torto, no entanto, as aldeias estão divididas pelas suas margens. São terras graníticas, com invernos frios e verões secos e quentes. A União das Freguesias de Antas e Ourozinho surgiu em 2013. A aldeia de Antas é, talvez, uma das aldeias mais antigas do concelho de Penedono. O seu topónimo surgiu, possivelmente, devido ao facto de existirem no seu território monumentos megalíticos.

Em tempos remotos, esta aldeia chamava-se “São Miguel das Antas”, devido ao seu orago S. Miguel. Todavia, com o passar do tempo, restou apenas a denominação de Antas. Para além da riqueza do seu património natural, são de grande valor histórico, artístico e cultural: os monumentos megalíticos – antas ou dólmens e o menir –, do período Neolítico; a Ponte Pedrinha, possivelmente do período Romano; as sepulturas, os sarcófagos e as lagariças medievais; os múltiplos vestígios de herança judaica e dos cristãos novos; a Igreja Matriz e as capelas, ricas em arte sacra; as diversas casas senhoriais e as casas rústicas que podem ser observadas um pouco por toda a aldeia.

O topónimo Ourozinho tem origem em “Euracinus” que seria o nome de um proprietário de uma “villa” rústica proprietário este de raízes germânicas. No século XIII “Euracinus” passa a designar-se “Eurosiom” e no século XVIII “Ouresinho”.

A Aldeia do Ourozinho pode orgulhar-se de ter património arqueológico como a estação de Bronze Final (Neolítico) situada na Quinta do Vale do Outeiro; a “fraga da moura” que se situa perto da estação de bronze, onde foram encontrados alguns vestígios do século IX a.C. a século V a.C. e a calçada romana que servira de itinerário das vias romanas em Portugal.

No património arquitetónico destacam-se a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção (século XX), a capela de São Tiago (século XVIII) padroeiro da aldeia e a capela da Nossa Senhora do Rosário (século XVIII). No Telhal podemos visitar a capela de S. António, do século XVIII.